Início Destaques Ucrânia elimina o Monstro, que implementou o Expurgo Anti-LGBTQIA+ na Chechênia

Ucrânia elimina o Monstro, que implementou o Expurgo Anti-LGBTQIA+ na Chechênia

Magomed Tushayev, um dos executores do Expurgo Anti-LGBTQIA+ da Chechênia, foi morto por tropas Ucranianas

por KzArashi
0 comentário

Magomed Tushayev, um dos executores do Expurgo Anti-LGBTQIA+ da Chechênia, foi morto por tropas UcranianasExecutor do Expurgo Anti-LGBTQIA+ da Chechênia, foi morto por tropas Ucranianas

Magomed Tushayev junto com outros seguidores de uma organização paramilitar da Chechênia (os Kadyrovtsy), foram mortos por militares ucranianos. O Secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Oleksiy Danilov, disse que o grupo foi à Ucrânia para “eliminar” o presidente do país, Volodymyr Zelensky.

Magomed Tushayev, que era um chefe militar sob o comando do líder checheno Ramzan Kadyrov, foi morto em combates no Aeroporto de Hostomel, um importante alvo russo a noroeste de Kiev.

Tushayev liderava o 141º Regimento Motorizado da Guarda Nacional da Chechênia, quando de sua morte, foi confirmada por um porta-voz do presidente ucraniano Vlodomyr Zelensky.


Aproveite algumas de nossas indicações de leitura:
              

MAGOMED TUSHAYEV E O “EXPURGO GAY” DA CHECHÊNIA

Um general despótico que, implacavelmente prendeu e matou pessoas LGBTQIA+, em um ato que ficou conhecido como “EXPURGO GAY”.

Magomed Tushayev desempenhou um papel fundamental e constante, na violência sistêmica da Chechênia contra a comunidade LGBTQIA+, como consta de relatado tão recentes quanto de maio de 2021.

Vários relatos de refugiados surgiram descrevendo a violência horrível, sob o regime do Presidente Kadyrov, apesar de suas negações de que qualquer repressão anti-LGBTQIA+ tenha acontecido.

Os Expurgos anti-LGBTQIA+ foram relatados pela primeira vez na república do sul da Rússia, em 2017 e supostamente envolveram sequestros, tortura e execuções extrajudiciais.

Sob a liderança do infame Presidente Kadyrov, que recentemente disse que Vlaidimir Putin precisava de táticas mais duras na Ucrânia, Tushayev foi fundamental na perseguição às pessoas LGBTQIA+.

O general foi especificamente implicado em desempenhar um papel no sequestro do ativista e homosexual, Ibragim Selimkhanov, em 2021. O ativista foi sequestrado de uma estação de metrô de Moscou e colocado em um carro, depois em um avião, antes de ser levado para Grozny, capital da Chechênia.

 

Fontes:

Você pode se interessar por:

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceito Leia Mais