Início Comics e Livros ERA OUTRA VEZ – O Lado Sombrio dos Contos de Fadas

ERA OUTRA VEZ – O Lado Sombrio dos Contos de Fadas

Comix Zone inicia Pré-Venda de quadrinho de Carlos Trillo e Alberto Breccia, com histórias inéditas no Brasil

por KzArashi
0 comentário

Em sua origem os contos de fadas já eram sombrios. Em Era Outra Vez, o contexto dos Anos de Chumbo é um véu Trevas.

A Editora Comix Zone iniciou a pré-venda de Era Outra Vez – O Lado Sombrio dos Contos de Fadas, Carlos Trillo e Alberto Breccia. Mais uma excelente adição ao crescente catálogo de Quadrinhos Argentinos, da editora de Thiago Ferreira e Ferréz.
A publicação traz histórias criadas por Carlos Trillo e Alberto Breccia, entre os anos de 1979 e 1981, onde a dupla reinterpreta contos de fadas clássicos, como Branca de Neve, Cinderela, João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, a Bela Adormecida.

Popularizados pelos Irmãos Grimm e depois adaptados e amenizados pela Disney. Estes “Contos de Fadas”, eram parábolas e histórias transmitidas oralmente, que tinham a função de transmitir lições e alertas. Sendo muitas fezes sombrias, assustadoras e brutais.
As adaptações de Carlos Trillo e Alberto Breccia mantém o tom original, mas distorcem alguns dos conceitos. Atualizando a ideia de serem ferramenta de advertência, para o contexto da época da Ditadura Argentina.

Ambos autores chegam a fazer aparições na forma de personagens. Um reflexo da realidade, talvez, onde eram espectadores e personagens/vítimas dos Anos de Chumbo da ditatura argentina.

Em Era Outra Vez, o contexto dos Anos de Chumbo é um véu Trevas.


Adquira ERA OUTRA VEZ – O Lado Sombrio dos Contos de Fadas, pelos links da matéria ou o botão abaixo. E aproveite também, mais algumas indicações:
              

SINOPSE:

Entre 1979 e 1981, Carlos Trillo e Alberto Breccia decidem reinterpretar contos de fadas clássicos, popularizados pelos Irmãos Grimm e, posteriormente, adaptados pela Disney. Na época, a Argentina ainda lutava contra a ditadura. Branca de Neve, Cinderela, João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, a Bela Adormecida. Sufocados pelos anos de chumbo, os dois autores vão rechear suas histórias com mensagens subjacentes que hoje, 40 anos depois, se revelam muito mais nítidas.

Esta edição compila os cinco contos reinventados por Trillo e Breccia. Originalmente publicadas em el Péndulo, Hurra, Alter Alter e Superhumor, estas histórias seguiam inéditas no Brasil até hoje.

DETALHES DA EDIÇÃO NAIONAL DE ERA OUTRA VEZ:

  • – Edição com acabamento de luxo
  • – Capa dura, com verniz localizado
  • – 64 páginas
  • – Colorido
  • – Dimensões: 21 x 28.5 x 1 cm

 

SOBRE OS AUTORES

  • – CARLOS TRILLO nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1943. Iniciou sua carreira em 1963, trabalhando como colunista esportivo, publicitário e redator de revistas destinadas ao público feminino.
    Ao longo de seus 50 anos dedicados aos quadrinhos, colaborou com grandes artistas como Domingo Mandrafina (A Grande Farsa, Spaghetti Brothers), Alberto Breccia (Buscavidas, Viajante de Cinza), Enrique Breccia (Alvar Mayor), Horacio Altuna (El Último Recreo, Charlie Moon), Jordi Bernet (Custer, Light & Bold) e Eduardo Risso (Borderline, Chicanos). Ganhou importantes prêmios, como o Yellow Kid no Salão de Lucca (Itália, 1978 e 1996); o prêmio de Melhor Roteirista no Salão de Quadrinhos de Barcelona (Espanha, 1984); e o prêmio de Melhor Roteiro por A Grande Farsa, no Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême (França, 1999). Trillo é considerado o mais importante autor dos quadrinhos argentinos, depois de Héctor Oesterheld.

    Faleceu em 2011, em Londres, aos 68 anos de idade.
  • – ALBERTO BRECCIA nasceu em Montevidéu, Uruguai, em 1919, mas aos três anos se mudou com sua família para a Argentina. Iniciou sua carreira como quadrinista aos 19 anos, em uma revista de bairro chamada Acento.
    Seu trabalho começa a ser reconhecido a partir de Vito Nervio, publicado na revista Patoruzito, entre 1947 e 1959. No final da década de 1950, por intermédio de Hugo Pratt, conheceu o roteirista Héctor Germán Oesterheld, com que realizaria algumas de suas obras mais significativas, como Sherlock Time, Mort Cinder e uma nova versão de O Eternauta. Em 1973, com textos do poeta Norberto Buscaglia, realiza uma adaptação de Os Mitos de Cthulhu, de H. P. Lovecraft. Com o roteirista Carlos Trillo, colabora na realização de Um Tal Daneri, Viajante de Cinza, Buscavidas e diversas histórias curtas. Em 1983, começa a produção de Perramus, em parceria com Juan Sasturain.
    Além das adaptações de Edgar Allan Poe, em seus últimos anos adapta contos de escritores como Borges, García Márquez, entre outros. Informe Sobre Cegos, baseado no livro Sobre Heróis e Tumbas, de Ernesto Sabato, seria uma de suas últimas obras. Breccia é considerado hoje um dos artistas mais im­portantes da história dos quadrinhos, tendo recebido importantes prêmios ao longo de seus mais de 50 anos dedicados ao desenho, como o Yellow Kid no Salão de Lucca (Itália, 1977); o Grande Prêmio do Salão de Quadrinhos de Barcelona (Espanha, 1984); e o prêmio da Anistia Internacional, por Perramus (Bélgica, 1988).
    Faleceu em 1993, em Buenos Aires, aos 73 anos de idade.

ERA OUTRA VEZ – O lado Sombrio dos Contos de Fada, está em pré-venda com 30% OFF.
Adquira o seu pelo link:
https://amzn.to/3GOFWKg

Você pode se interessar por:

Este site usa cookies para melhorar a sua experiência. Presumiremos que você está de acordo com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceito Leia Mais